publicidade
15/05/20
Foto: Guga Matos/Acervo JC Imagem
Foto: Guga Matos/Acervo JC Imagem

Santa Cruz: Aumenta a crise financeira com a baixa de sócios

15 / maio
Publicado por Manuel Dias em Copa do Nordeste 2020 às 14:12

Devido a pandemia causada pelo novo coronavírus, muitos clubes estão entrando em um prejuízo financeiro alto, como é o caso do Santa Cruz. Isso se deve ao fato de que os campeonatos foram paralisados e a movimentação do caixa de bilheteria e vendas de produtos estão estagnadas. Já os patrocinadores entraram em acordo para que o valor total seja remodelado mais adiante – com a normalidade no futebol. Além disso, o Tricolor do Arruda perdeu uma grande parte de sócios.

O Clube Coral recebia um valor mensal que variava entre R$ 200 mil e R$ 250 mil, decorrente de associados. No mês de abril o valor fechou em R$ 80 mil – muito abaixo do esperado. Essa renda faz falta para os funcionários e atletas do Santa Cruz, preocupando a diretoria que busca uma alternativa para viabilizar os dois lados.

”Nosso recurso hoje é difícil. Temos em torno de R$ 200 mil a R$ 250 mil por mês na arrecadação de sócios, e isso no mês de abril caiu para R$ 80 mil. Então é uma diminuição substancial dos nossos recursos, mas como disse antes, estamos nos esforçando criando novas formas de receita e diminuindo o custo operacional”, disse o diretor de futebol e membro do núcleo gestor do Santa Cruz, Fred Dias, em entrevista à Rádio Jornal.

Leia mais: Sport marca data para o lançamento dos novos uniformes

Leia mais: Bahia divulga a terceira camisa exclusiva para sócios

Bloqueios

O tricolor também sofre com os bloqueios que tem na justiça, de valores que o clube deveria receber. Os responsáveis por esse setor estão trabalhando para que a quantia seja liberada aos poucos – como já vem acontecendo. Com isso o Time do Povo chegou em comum acordo com seus jogadores e funcionários, reduzindo os salários em 30%, para amenizar o prejuízo de todos. Atletas que recebem uma quantia menor chegaram a receber até 100% do valor relativo a março.

”Fizemos os pagamentos dos atletas que ganham um salário mínimo, um salário mínimo e meio, dois salários mínimos, e eles receberam praticamente 100% na carteira, porque o clube cumpre e faz cumprir a Lei Pelé, no tocante às remunerações do seus atletas. Os jogadores que recebem acima de um determinado valor, que esteja vinculado com o direito de imagem, receberam um valor de 40% a 75% do seu vencimento de carteira”, afirmou Fred Dias.

”A gente vem trabalhando com alguns recursos e viemos mostrando com transparência para nossos atletas e nossa comissão técnica, de que existem recursos provenientes de outra negociações de atletas, outras fontes de receita que terminam sendo bloqueadas. A gente tenta esse desbloqueios, porque os bloqueios atrapalham, mas tentamos resolver esse problemas para poder liberar esses valores, e os atletas estão conscientes da situação, sabem que estávamos honrando todos os compromissos antes da parada. Eles compreendem, estamos conversando todos os dias com eles, e aos poucos vamos conseguindo fazer os pagamentos necessários”, completou o dirigente.


FECHAR